<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://px.ads.linkedin.com/collect/?pid=3269306&amp;fmt=gif">
3 min read

Inseto ou borboleta?

Featured Image

Já alguma vez pensaste sobre o ciclo de vida médio de um gestor de um programa de voluntariado? 

Nós tendemos a ter um ciclo de vida ocupado que inclui planeamento e preparação para cada voluntário que recrutamos, a promoção de sessões informativas e de publicidade, a organização processos de entrevistas “sem fim à vista”, a organização de dias de orientação, ensinar nas sessões de treino e ainda fazer avaliações contínuas dos voluntariados. 

Só para completar o ciclo, nós temos de ir a cada vez mais reuniões, cheias de relatórios, e organizar a semana do voluntariado de forma extremamente eficiente e também arcar com as funções de reconhecimento de voluntariado que geralmente ocorrem no final do ano – e fazemos tudo isto com um sorriso na cara! 

Não surpreende que estejamos completamente exaustos quando os nossos últimos voluntários saem para as suas férias anuais! 

Ocorrem-me logo pensamentos como na “Narnia” de CS Lewis, onde era “sempre inverno, mas nunca era o Natal”, e eu questiono-me sobre quantos de nós aproveitam essa oportunidade para parar um pouco e avaliar o nosso progresso, para depois celebrarmos os feitos que alcançamos? 

Infelizmente os efeitos deste “ciclo de vida” podem ser vistos e medidos pela alta rotatividade daqueles que trabalham na nossa profissão, e por muitos outros que devido a burn-outs, simplesmente não têm tempo ou a disposição para se envolverem em oportunidades de desenvolvimento profissional ou de redes (networking). 

Se eu nos fosse comparar a borboletas, eu questiono-me quantos de nós teriam a oportunidade de sair das fases de “inseto” nas quais somos lagartas ou temos de voltar para dentro dos nossos casulos?

Quantos de nós mostram as suas verdadeiras cores e o seu potencial ao nos tornarmos borboletas que voam alto, mesmo que seja só de vez em quando e durante pouco tempo? 

O início de cada ano proporciona a oportunidade ideal para fazer com que isto aconteça e para criar algumas resoluções de mudança:

  • De fazer que o Ano Novo seja uma altura onde se estabelecem e se atingem objetivos pessoais e organizacionais
  • De decidir tirar algum tempo para si próprio no meio de toda a sua agenda preenchida. De começar um hobby, ler um livro ou até me atrevo a dizer, fazer algum trabalho voluntário para uma outra agência!
  • De se comprometer a juntar-se a um grupo de notícias (ou publicar mais regularmente caso já seja membro de um), de assistir a uma conferência ou decidir ler aquele monte de revistas que já têm mais de um ano lá no canto do seu escritório.
  • Parar ler um ou dois livros sobre voluntariado
  • Para se ligar com um colega que está a fazer algo semelhante a trabalhar no teu país de origem ou no estrangeiro, e comparem notas sobre o trabalho que fazem, trocarem ideais e oferecerem apoio de par mútuo de um(a) para o outro(a)
  • Marcar regularmente no seu diário momentos de descanso nos quais pode ir almoçar com um colega de trabalho ou até com um ou dois voluntários do seu programa, uma vez por semana, numa quinzena, ou num mês
  • Para brincar mais e preocupar-se menos
  • Para gastar mais tempo com a sua família e menos tempo no escritório
  • Para mudar deliberadamente os seus padrões de trabalho. Talvez possa pedir ao seu patrão para trabalhar a partir de casa um dia por semana
  • Para delegar mais
  • Para ser um porta-voz pelo “voluntarismo”, escrevendo cartas para o editor sobre assuntos que você considera que estão a ser mal representados nos meios de comunicação social
  • Para se comprometer a participar na rede de grupo de gestores de voluntariado ou para se juntar a uma comissão sobre um tópico que lhe interessa, porventura até a partir do seu centro de voluntariado local

Planear objetivos pessoais e organizacionais não só oferece um período de descanso muito merecido durante o ano, mas também tem o benefício adicional de o ajudar a manter-se “fresco” enquanto ao mesmo tempo se consegue manter são!

Então o que é o(a) impede?

Fá-lo agora!

Pega nesse diário antes que ele fique completamente preenchido, e comece a agendar algum tempo para si!

Planeje ser uma borboleta pelo menos por um bocadinho durante este ano, eu garanto-lhe que irá apreciar a experiência, e melhor ainda, os outros também irão notar.

Por favor, comece por partilhar pelo menos um objetivo que se compromete a atingir em 2021!